quinta-feira, dezembro 14, 2006
Banco de Jardim
Num banco de jardim
Converso com a natureza que me rodeia
Conto-lhe o que ocupa o meu pensamento,
Sem hesitar, sem me preocupar…
Naquele momento sei que ela só me ouve a mim,
Que me dá a atenção que tenho procurado
E calmamente me dá força para nesta vida continuar.

Na mistura de cores que as flores
Tentam constantemente me mostrar,
Encontro a harmonia e o lado alegre da vida,
Acompanhado pelos diversos odores
Que suavemente me fazem delirar
E ganhar vontade para acabar com esta vida sofrida.

Diante de mim vejo um calmo riacho
Que segue o seu caminho pelo meio da natureza
Sem olhar para o que atrás deixou,
Sem se importar por onde passou.
Nele percebo a necessidade de olhar em frente
E seguir um caminho que me traga de novo a beleza
Independentemente daquilo que no passado ficou.

Sentado neste banco de jardim
Recupero a energia que estava constantemente a perder,
Bem como a vontade de seguir em frente
Neste difícil caminho que é a vida.
Dentro de mim a esperança voltou a comandar a minha mente
E com ela uma nova vontade de viver.
 
posted by João Filipe Ferreira at 4:57 da tarde | Permalink |


3 Comments:


  • At 1:54 da manhã, Blogger peter pan

    Bem que grande Blog...

    Tens um valor inegavel, atrais a atenção para as tuas rimas...

    Continua a postar para nós, com esforço e dedicação porque só assim nascem as grandes obras...

    Prarabéns estou rendido à tua escrita

     
  • At 12:06 da tarde, Anonymous Anónimo

    Parabéns poeta! Mais um poema lindo que saiu de dentro da tua alma!
    Beijo grande!

     
  • At 1:50 da tarde, Blogger mind

    jardim, flores, riacho...td mt lindo!
    =)
    bjs docs!!

     


// --> Add to Technorati Favorites site statistics
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////-->
www.e-referrer.com
>