quarta-feira, fevereiro 21, 2007
Vida que Passa
Não consigo compreender o que me rodeia,
Não sei se eu é que estou errado,
Ou se o ambiente à minha volta vive descarrilado,
Descarrilado do rumo correcto.
Descarrilado da direcção certa.

Vivo com um sentimento,
Que à medida que o tempo avança
Me destrói,
Me faz sangrar de dor,
E eu continuo a ser incapaz de o travar.

Alimento a esperança,
Com pensamentos coloridos,
De ares respiráveis
E com promessas de que um dia serei livre,
Livre para viver, livre para sonhar.

Provavelmente serei eu que estou descarrilado
Deste mundo que rapidamente avança.
Provavelmente o estou a perder
Preso nesta dor que me impede de o perceber.
Que me impede de o acompanhar,
Que me impede de viver.

Enquanto vou tentando compreender
O que atormenta o meu espírito,
Vou tentando também compreender
O porquê de a vida avançar tão rapidamente.
Sem olhar para mim,
Sem perguntar se a quero acompanhar,
Sem querer saber se a minha dor já teve um fim.
 
posted by João Filipe Ferreira at 9:13 da tarde | Permalink |


4 Comments:


  • At 9:43 da manhã, Blogger Mina

    Bem, sensacional! Parece que estava a ler a minha mente...
    Afinal, porque é que tudo passa e nada fica... né? :)
    Bjs!

     
  • At 11:37 da manhã, Blogger PoesiaMGD

    Há coisas que nunca compreenderemos!
    um abraço

     
  • At 3:57 da tarde, Blogger jguerra

    As coisas foram mesmo feitas para passar. Não devemos estar sempre a olhar para trás. A recordação delas é alimento para o futuro, mas não devemos prendê-las ao presente.

     
  • At 5:27 da tarde, Blogger fairybondage

    Preso na dor
    a vida passa
    tão depressa
    e parece
    no entanto
    passar
    devagar...


    Mil beijinhos

     


// --> Add to Technorati Favorites site statistics
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////-->
www.e-referrer.com
>