sábado, dezembro 22, 2007
Hotel da Perdição
São 3 da manhã,
Abunda um trago a álcool,
Por este corpo já consumido,
Por este ser já sofrido.

A luz da porta cor de lava
Seduz-me, conduz-me
Enfeitiça-me, atiça-me
Leva-me onde jamais imaginava.

Por escadas confusas,
Moribundas de perdição,
Onde a dor é somente imaginação
E o mundo flutua na palma da mão.

Jogos de prazer hipnotizam
A fraqueza do bater do coração,
Empurram-me para abismo,
Ou então salvam-me de toda a maldição.

Luzes tremidas
Olhares desconhecidos.
Mistério envolvente,
Odores conhecidos.

Onde estou?
Que mundo de perdição é este?
Será apenas um teste?
Porque motivo aqui me trouxeste?

Por entre as paredes deste quarto secreto,
Liberto-me por completo,
Deixo o delírio tomar conta de mim
Na leveza destes lençóis de cetim…

Não sei se me mostras o fim,
Ou porque me queres ver assim...
Será que me dizes que estou a morrer?…
Ou então…
Somente a viver…?
 
posted by João Filipe Ferreira at 2:32 da manhã | Permalink |


0 Comments:




// --> Add to Technorati Favorites site statistics
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////-->
www.e-referrer.com
>